“Ministério Público infelizmente passou a fazer política”, diz Renan

1512f1

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou, nesta terça-feira (13), que o Ministério Público Federal (MPF) “passou a fazer política”. Renan deu a declaração ao ser questionado sobre denúncias no acordo de delação premiada no âmbito da Lava-Jato. “O Ministério Público infelizmente passou a fazer política. Só política. Quando você faz política, você perde a condição definitivamente de ser o fiscal da lei”, afirmou Renan.

O presidente do Senado também fez críticas ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e disse que as ações do Ministério Público são contra o Senado. “Depois que o procurador Janot colocou na força-tarefa três membros do MP rejeitados pelo Senado para o Conselho Nacional do Ministério Público e do Conselho Nacional de Justiça, isso, por si só, já demonstra o que ele está querendo fazer com o Senado. De modo que as conduções coercitivas, as buscas e apreensões, o pedido de prisão, a prisão da polícia, a usurpação de competência, tudo é decorrente do fato do procurador-geral da República ter colocado como membros da força-tarefa três pessoas rejeitadas pelo Senado”, disse Renan.

O presidente do Senado também criticou o vazamento de delações premiadas e reiterou que as acusações contra ele são “absurdas”. “São denúncias apressadas, feitas nas coxas, que demonstram o caráter político do Ministério Público, de vendeta, de vingança, porque o Senado rejeitou os três nomes. Não há sequer acusador. A empresa negou que tivesse feito doação, o deputado negou que tivesse falado em meu nome. Então, essa denúncia vai ter o mesmo destino das outras denúncias: será arquivada. Nunca cometi crime, irregularidade e sempre tive muito cuidado com a minha vida pública e com a minha vida pessoal”, disse Renan.

Renan ainda comparou o que está acontecendo no Brasil com a operação Mãos Limpas, ocorrida na Itália. “Não pode fazer o que aconteceu na Itália. A operação Mãos Limpas perdeu muita força na Itália porque condenou muitos inocentes. A divulgação permitia que inocentes fossem julgados todos os dias nos meios de comunicação. Se isso acontecer no Brasil, e está acontecendo, será muito ruim”, explicou Renan.

O presidente do Senado também falou sobre o projeto de abuso de autoridade. “Pretendo votar todos aqueles itens indicados pelos líderes para compor essa agenda de final de ano”, afirmou Renan.

Compartilhe este artigo

Artigos relacionados

Senador entrega retroescavadeiras para municípios alagoanos

Tive a alegria de entregar nesta segunda-feira (19), duas...

O inacreditável acontece

Quando ficou evidente que políticos (de todos os partidos...

O eixo do carro de boi

Ainda sobre a eleição. Aconteceu outro fato inusitado que...

O Quinto Mandamento

Insistem em pedir que eu escancare minhas convergências com...

Assine o Boletim Eletrônico

Assinando, você receberá em seu e-mail notícias e artigos atualizados do site.

A página eletrônica do Senador Renan Calheiros é um espaço para divulgar ideias, posicionamentos e opiniões do parlamentar alagoano. O endereço eletrônico www.renancalheiros.com.br é atualizado pela assessoria de imprensa e agrega artigos, discursos, notícias, projetos, além de dados biográficos da carreira política do senador.

Contato

Senador Renan Calheiros
E-mail: [email protected]
Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Anexo I Ed. Principal 15º andar
BrasíliaDF - CEP 70.165-920
(61) 3303-2261 / (61) 3303-2263