JUSTIÇA ÀS MULHERES

Como parte das comemorações do mês da Mulher, o Senado acelerou a tramitação da proposta que estende aos empregados domésticos os direitos  já assegurados aos demais trabalhadores. Assumi publicamente o compromisso de votarmos a emenda constitucional até o final de março.

Desta forma benefícios como Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, seguro-desemprego; pagamento de hora-extra e adicional noturno serão estendidos aos empregados domésticos. São cerca de sete milhões de brasileiros, dos quais 93% são mulheres. Apenas dois milhões trabalham com carteira assinada.
Outros direitos assegurados são: remuneração mensal nunca inferior ao salário mínimo, jornada semanal de 44 horas, com oito horas diárias de trabalho; proibição de qualquer discriminação em função de sexo, idade, cor, estado civil ou deficiência e pagamento de hora-extra em valor, no mínimo, 50% acima da hora normal.
O Dia Internacional da Mulher – oficializado pelas Nações Unidas em 1977 – não encerra a luta pela igualdade. Esta é uma luta permanente. Nada justifica, por exemplo, que apesar das cotas, tenhamos tão baixa representatividade no Parlamento, quando sabemos que as mulheres compõem a maioria da população do país.
Os crimes contra as mulheres indicam que, apesar da melhoria após a Lei Maria da Penha, que tive a honra de promulgar no Senado, precisamos evoluir muito. Em 2007, no primeiro ano de vigência efetiva da Lei Maria da Penha, as taxas tiveram uma diminuição, mas voltaram a crescer nos últimos anos. A ausência de punição e a escassez de delegacias especializadas está por atrás desta desconfortável estatística.
 
O que conforta é que, a despeito de tanta violência, as mulheres vêm conquistando novos espaços. Segundo levantamento feito a partir de dados do IBGE, até o final deste ano, passará pelas mãos das mulheres brasileiras, mais de um trilhão de reais. Isso significa um crescimento de 83% na massa de renda das mulheres brasileiras num período de dez anos.
Esses bons indicadores ainda não contemplam a demanda por equidade salarial entre homens e mulheres. A discrepância entre o salário médio de admissão de homens e mulheres persiste e há divergências nas remunerações das mesmas funções. 
Na Presidência do Senado criamos a Procuradoria Especial da Mulher, ideia da senadora Vanessa Graziotin. Entre os seus principais objetivos estão o encaminhamento aos órgãos competentes das denúncias de violência e discriminação contra a mulher. Ela irá promover ainda audiências públicas, pesquisas e estudos sobre os problemas que mais afligem as mulheres.
Compartilhe este artigo

Artigos relacionados

Senador entrega retroescavadeiras para municípios alagoanos

Tive a alegria de entregar nesta segunda-feira (19), duas...

O inacreditável acontece

Quando ficou evidente que políticos (de todos os partidos...

O eixo do carro de boi

Ainda sobre a eleição. Aconteceu outro fato inusitado que...

O Quinto Mandamento

Insistem em pedir que eu escancare minhas convergências com...

Assine o Boletim Eletrônico

Assinando, você receberá em seu e-mail notícias e artigos atualizados do site.

A página eletrônica do Senador Renan Calheiros é um espaço para divulgar ideias, posicionamentos e opiniões do parlamentar alagoano. O endereço eletrônico www.renancalheiros.com.br é atualizado pela assessoria de imprensa e agrega artigos, discursos, notícias, projetos, além de dados biográficos da carreira política do senador.

Contato

Senador Renan Calheiros
E-mail: [email protected]
Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Anexo I Ed. Principal 15º andar
BrasíliaDF - CEP 70.165-920
(61) 3303-2261 / (61) 3303-2263